Ceratoses: o que são?

April 3, 2018

A Ceratose é uma alteração na camada córnea da pele que causa aspecto escamoso ou verrucoso. Ainda que afete a camada mais superficial, o número de lesões pode ser muito variado, sendo motivo de muito incômodo.

 

Existem três tipos de Ceratose e cada uma delas possui suas causas e tratamentos distintos.

 

Ceratose Actínica

 

 

A Ceratose Actínica, também conhecida como Queratose Solar ou Queratose Senil, é uma lesão de pele causada pelo sol, como o próprio nome já diz. Normalmente, costuma afetar as áreas de maior exposição, como braços, couro cabeludo, face, colo e dorso das mãos. Por isso, as pessoas com peles claras, idade avançada ou que ficaram muito expostas ao sol durante determinado período da vida costumam ser as mais afetadas.

 

Em seu estágio inicial, a Ceratose Actínica é pouco visível, mas perceptível ao tato por tornar a região mais áspera. Quando avança, suas lesões aumentam de tamanho e ganham aspecto avermelhado, rosado ou, em alguns casos, acastanhado – conhecida como Ceratose Actínica Pigmentada.

 

Por ser considerada uma lesão pré-maligna, a Ceratose Actínica pode evoluir para o carcinoma espinocelular, ou câncer de pele, sendo que quanto maior o número de lesões, maiores as chances dessa evolução. Desta forma, é fundamental que todos os machucados, lesões e manchas sejam analisados, para que se exclua a possibilidade de algo mais grave e de transtornos futuros.

 

Prevenção

 

A proteção solar é a boa e velha dica:

 

- Evitar exposição ao sol, principalmente ente as 10 e 15h;

- Aplicar sempre o filtro solar, mesmo que em ambientes internos;

- Utilizar chapéus e roupas com cubram a pele, como mangas longas.

Tratamentos

Pelo fato de serem lesões pré-malignas, a Ceratose Actínica merece atenção especial em seu tratamento. Existem várias possibilidades de terapia que dependem do tamanho da lesão e da sua profundidade. Algumas delas são:

- Crioterapia: cauterização pelo frio por nitrogênio líquido;

-Curetagem e eletrocoagulação das lesões;

-Cremes com 5 Fluoracil (5FU): tratam também lesões subclínicas;

-Cremes com Imiquimode a 5 %;

-Mebutato de Ingenol;

-Remoção da lesão por cirurgia e encaminhamento para exame anatomopatológico, quando se suspeita de um carcinoma espinocelular.

 

Ceratose Seborreica

 

 

 

A Ceratose Seborreica é uma lesão benigna da pele com aspecto, geralmente, arredondado ou irregular. Apresenta coloração pigmentada – marrom, castanha ou negra – e, normalmente, não acompanha quaisquer sintomas.

 

 Em sua fase inicial, a Ceratose Seborreica, é inicialmente plana, tornando-se elevada e com aspecto verrucoso com o passar do tempo. O número de lesões pode variar de poucas a centenas, podendo adquirir grandes dimensões.

 

Apesar de mais frequente em pessoas idosas, a Ceratose Seborreica também pode aparecer a partir dos 30 ou 40 anos de idade. Suas causas são genéticas, por isso não há forma de preveni-la.

 

Tratamentos

 

Por se tratar de uma lesão benigna, os tratamentos da Ceratose Seborreica visam os aspectos estéticos e, quando causam desconforto, alivia-los. Dentre as opções, estão:

 

- Crioterapia: cauterização pelo frio por nitrogênio líquido;

- Eletroterapia;

- Cauterização química com ácidos como o tricloroacético.

- Tratamento com laser.

 

Ceratose Pilar

 

 

 

Já a Ceratose Pilar ou Folicular é conhecida popularmente por seu sintoma de pele ressecada e, às vezes, áspera. Trata-se de pequenas manchas avermelhadas ou esbranquiçadas, principalmente nos braços, pernas, nádegas e bochechas pelo acumulo de queratina nos folículos pilosos. Normalmente, costumam aparecer na adolescência e tendem a desaparecer espontaneamente com o passar dos anos.

 

Apesar de seu caráter genético, a Ceratose Pilar também pode ser agravada por outros fatores, como o uso de roupas apertadas, desidratação e manifestações alérgicas como a dermatite atópica.

 

Prevenção e Tratamento

 

Por ser essencialmente genético, a Ceratose Pilar não pode ser prevenida, e sim controlada com as seguintes recomendações:

 

- Utilizar filtro solar e evitar, sempre que possível, a exposição ao sol;

- Evitar o uso de roupas apertadas, já que o atrito tende a piorar o quadro;

- Atenção redobrada à hidratação, com ingestão abundante de água e o uso de hidratantes que contenham, preferencialmente, ureia;

- Tratamentos feitos com ceratolíticos como ácido salicílico;

- Em casos mais extensos e graves, microdermoabrasão, peelings químicos e até a isotretinoína oral podem ser indicados;

 

Mas, atenção! A automedicação é totalmente contraindicada. Somente após a visita ao Dermatologista, com a correta e individual avaliação, poderá ser feito o diagnóstico de Ceratose.

 

Agende a sua consulta e se cuide!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Arquivo 
Please reload

Follow us
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Perdizes: Rua Turiassu, 143/145 - Cj61

 

Alto da Lapa: Rua Sales Junior, 642


São Paulo, SP, Brasil 

© 2018. Todos os direitos reservados. Responsável: Dra.Flávia Jorge - CRM 124.469 RQE 37373 - Esse site segue as normas do Código de Ética Médica do Conselho Federal de Medicina