Flacidez Facial: tudo o que você precisa saber!

May 16, 2018

 

 

 

Você já se pegou em frente ao espelho esticando o rosto com as mãos? Então saiba que não está sozinha! Um dos primeiros sinais de envelhecimento que começamos a notar é justamente a flacidez facial.

 

A flacidez facial é caracterizada pela perda das fibras de colágeno e elastina que conferem sustentação dos tecidos corporais. Essa ausência pode, ainda, ser muscular ou dérmica: a primeira aparece em decorrência do desgaste das fibras de sustentação do músculo, enquanto a segunda apresenta uma desorganização dessas fibras.

 

Geralmente, a flacidez facial começa a ser notada em torno dos 35 anos, mas essa data pode variar muito, uma vez que são múltiplos os fatores envolvidos em suas causas.

 

Podemos dividir as causas da flacidez facial em:

 

- Fatores Extrínsecos, como: tabagismo, alimentação inadequada, poluição ambiental, uso de alguns medicamentos, doenças crônicas, álcool, hábitos de sono irregulares ou insuficientes, distúrbios hormonais, estresse, variações de peso e, sobretudo, exposição solar;

 

- Fatores Intrínsecos, os quais independem da nossa vontade, pois refletem a nossa genética.

 

Como você já pode imaginar, para prevenir a flacidez facial é fundamental evitar os seus fatores extrínsecos.

 

Além disso, você também deve caprichar na ingestão de água afim de manter a pele sempre hidratada e consumir alimentos ricos em proteínas, pois eles são fundamentais na manutenção dos músculos e proteínas de sustentação da derme, que vão ajudar a preencher a pele flácida. O uso de suplementos a base de colágeno podem ser úteis em alguns casos, especialmente se a ingestão proteica for baixa na rotina. Mas ainda são necessários estudos maiores para comprovar qual sua real eficácia.

 

A utilização de cremes anti-idade também vale a pena ser citada. Esses hidratantes podem ser utilizados não só em modo preventivo, mas também como aliados no tratamento dos primeiros sinais de flacidez. Para isso, prefira os cremes que contenham: vitamina A e seus derivados, como o retinol – que estimula a renovação celular e suaviza os principais sinais da idade; e vitamina C – que também ajudam a estruturar o colágeno da pele.

 

Agora, se sua pele já apresenta sinais mais avançados de flacidez facial, não se desespere! Hoje, os tratamentos disponíveis são muitos! Conheça os que trazem os melhores resultados:

 

- Lasers Ablativos: capazes de melhorar o remodelamento do colágeno e, consequentemente, o aspecto de flacidez da pele, em especial da pálpebra inferior – uma das primeiras áreas a surgir a flacidez;

 

- Bioestimuladores: aplicação injetável de substâncias como o ácido polilático, a hidroxiapatita de cálcio e policaprolactona que aumentam a produção de colágeno à medida em que são reabsorvidos;

 

- Peeling de Fenol: trata-se de um peeling mais profundo indicado para pacientes de pele clara e que promove a remodelação do colágeno;

 

- IPCA ou Indução percutânea de colágeno: é provocado um dano controlado na epiderme e derme através de microagulhamento, com posterior cicatrização e formação de novas fibras de colágeno no local tratado;

 

- Ultrassom Microfocado: promove o aumento da produção de colágeno, além de proporcionar um efeito lifting após 3 meses de sua aplicação;

 

- Entre outros, como: aplicação de ácido hialurônico, lasers não ablativos, radiofrequência, luz intensa pulsada.

 

Mas não se engane: para obter os melhores resultados é necessário que o Dermatologista faça primeiro uma avaliação da sua pele e, inclusive, dos seus hábitos cotidianos. Só aí, então, é possível indicar o melhor tratamento para o seu caso.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Arquivo 
Please reload

Follow us
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Perdizes: Rua Turiassu, 143/145 - Cj61

 

Alto da Lapa: Rua Sales Junior, 642


São Paulo, SP, Brasil 

© 2018. Todos os direitos reservados. Responsável: Dra.Flávia Jorge - CRM 124.469 RQE 37373 - Esse site segue as normas do Código de Ética Médica do Conselho Federal de Medicina